Vinícola Simonetto, Veranópolis, RS

Foto: Vinícola Simonetto, divulgação

A Vinícola Simonetto, de Veranópolis (RS), é um daqueles lugares que merece ser visitado, principalmente se você gosta de vinhos e quer conhecer outros roteiros, além dos já tradicionais. A família se preparou para bem receber os turistas. Ao entrar na vinícola, a primeira parte é o varejo, onde são vendidas as bebidas e geleias produzidas pela família, mas também há outros itens, como sabres e acessórios para vinho, cremes para o corpo e mãos, e aromatizantes para a casa. A Simonetto produz vinhos finos e de mesa, espumantes moscatel, brut (pelo método charmat e pelo tradicional), sucos de uva e de maçã e geleia de maçã, figo e pimenta. Entre os vinhos, destaco o Tannat deles, que é maravilhoso, e um vinho que é exportado para o Japão. A bebida que vai para o continente asiático tem o rótulo todo em japonês e é feita de uva Isabel, embora não pareça, já que é um rosé bem levinho. Os japoneses descobriram a vinícola depois de pesquisas de universidades que avaliaram por que Veranópolis tem uma expectativa de vida mais elevada que a média brasileira (e uma das explicações é o consumo moderado de vinho).

A visita, que inclui degustação de produtos, custa R$ 10 por pessoa. Grupos devem ser agendados. Na vinícola, é possível aprender a fazer sabrage, a técnica, que dizem que foi inventada por Napoleão Bonaparte, de degolar a garrafa com um sabre. Eu aprendi lá a fazer, ainda na época da última Femaçã, e fiz de novo na última visita. Eu acho bem tranquilo. Depois, aprimorei a técnica e faço a degola da garrafa também utilizando a base de uma taça de vidro. Serve para impressionar as pessoas. Ahaha. Fazendo direitinho, não tem perigo e o bico da garrafa sai inteiro, não tem risco de cair vidro dentro. Depois, na vinícola, eles te dão esse gargalo degolado dentro de uma caixinha com plástico na parte superior, para você levar de lembrança com a inscrição “Sabrage da Longevidade”.

O atendimento na vinícola é super especial, feito pela própria família, o que dá uma caráter bem mais aconchegante à visita. É uma experiência que vale a pena.

 

Vinícola Simonetto

Onde: à 2km da BR 470, Km 184, nº 1730, Monte Bérico, Veranópolis, RS

Horários: visitação, degustação e varejo, de terça a sexta-feira, das 13h30min às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9 às 11h30min e das 13h30min às 18h.

Mais: site e Facebook

 

Anúncios

Dal Pizzol Day Festival no dia 20 de maio, em Bento Gonçalves (RS)

Foto: Gilmar Gomes, divulgação

A Dal Pizzol, vinícola no distrito de Faria Lemos em Bento Gonçalves (RS), vai promover no dia 20 de maio a 2ª edição do Dal Pizzol Day Festival. É um encontro que reúne vinhos e espumantes, gastronomia, música, motos e carros antigos. O evento, que inicia às 11h e segue até às 19h, na área destinada a turismo da vinícola, na Rota Cantinas Históricas. Para quem não conhece, é um espaço em meio a natureza, com lagos, árvores e animais (como pavões e gansos), muito lindos. Ali também fica um museu do vinho, o varejo da vinícola e o vinhedo do mundo (que tem parreiras de vários países). O ingresso pode ser adquirido na hora e custa R$ 15, com direito a uma taça personalizada e uma dose de vinho ou espumante ou suco de uva.

Integrando as comemorações do Dia do Vinho, o Dal Pizzol Day Festival oferece um cardápio com vinhos, espumantes e suco de uva Dal Pizzol, além de hambúrgueres, sanduíches, mini pizzas, panchos, massas, batatas e frios da Estação Café Blauth e os cupcakes da mini chef Maria Carolina. A programação inclui música ao vivo, exposição de carros antigos e participação de moto-clubes. Quem desejar pode levar cadeiras, cangas e almofadas.

A agenda musical é na parte da tarde e fica por conta das bandas Monty Python Band e Dan Ferreti. Haverá, também, a presença de carros antigos do Veteran Car  Vinhedos e moto grupos. Em caso de chuva forte o evento será transferido.

 

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1667076666929819/

Food bikes e passeios ciclísticos no domingo na Peterlongo, em Garibaldi

Foto: Peterlongo, divulgação

Foto: Peterlongo, divulgação

 

Muito legal a ideia do Bike Point Peterlongo, que rola no domingo, dia 20 de novembro, na vinícola Peterlongo, em Garibaldi. Food Bikes irão oferecer comidinhas, vinhos, espumantes e sucos no jardim da vinícola. A vinícola também será ponto de chegada de dois passeios ciclísticos, um que sairá de Bento Gonçalves e outro de Garibaldi mesmo. Haverá ainda uma exposição de bicicletas antigas. Não paga para entrar na vinícola. Apenas o que for consumido é cobrado. O evento acontece das 14h às 20h no domingo.

Durante todo o período, as food bikes estarão oferecendo doces e salgados como cachorro-quente, pizzas, batatas, kibe árabe, brownies, bolo de pote, cones de palha italiana, muffins, cupcakes, tartes e doce gelado. No local, o público também poderá ver bikes antigas, de competição e de lazer, numa exposição dos colecionadores Norberto Callegari e Davi Lucas Moutinho Neto.

A Peterlongo também tem uma enobike. Serão oferecidos no dia: Peterlongo 750ml Brut e Moscatel, Privillege Brut Rosé, Vinho Terras Merlot e Suco de Uva Integral Tinto. Os produtos poderão ser adquiridos em garrafa pelo valor que varia de R$ 28 a R$ 38 ou em taça de R$ 6 a R$ 7. A garrafa de 300 ml de suco sairá por R$ 9.

O Bike Point Peterlongo será ponto de chegada de dois passeios ciclísticos. Para os mais preparados, a opção é o passeio que sai do Dall’Onder Grande Hotel, em Bento Gonçalves, passando pela Garibaldina, com parada para um piquenique na Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, seguindo até a Peterlongo num percurso de 17km. Inscrições antecipadas e gratuitas para este passeio podem ser feitas no Dall’Onder Grande Hotel ou na Schenato Bicicletas, ambos em Bento Gonçalves. A saída será às 10h em frente ao hotel, com previsão de chegada às 14h.

A outra opção, de 8km e 1h de duração, tem saída e chegada na Vinícola Peterlongo, passando pelas principais ruas de Garibaldi, com destaque para a Buarque de Macedo, recém revitalizada. Este é um passeio mais voltado à família, com um trajeto adequado para a participação de crianças. As inscrições antecipadas e gratuitas podem ser feitas no varejo da Peterlongo, na Secretaria de Esportes de Garibaldi ou na Casa das Bicicletas. A saída será no pátio da vinícola às 14h. Os participantes de ambos os passeios estarão concorrendo ao sorteio de prêmios, entre eles duas bikes, uma oferecida pela Benoit e outra pela Schenato Bicicletas, uma diária e um jantar gaúcho no Dall’Onder Grande Hotel, um passeio de bike com o projeto ‘Que tal de bike?’, kits da Vinícola Peterlongo, além de outros brindes. Para ambos os passeios, também serão aceitas inscrições nos locais de largada. Entretanto, para concorrer aos prêmios é necessário fazer a inscrição. Em caso de mau tempo o evento será cancelado.

 

SERVIÇO

 

O que? Bike Point Peterlongo

Quando? 20 de novembro, domingo

Horário: das 14h às 20h

Onde? Vinícola Peterlongo (Garibaldi-RS)

Atrações: food bikes, exposição de bikes antigas, passeios ciclísticos, além de espumantes, vinhos e suco de uva em taça e garrafa

 

Food Bikes

Oh my bike (cachorro-quente)

Dulcíssima Atelier (Brownies na marmita, cones de palha italiana, muffins,

cupcakes, tartes)

The Walking Pizza (pizzas)

Barbudo Fritas (Batatas tradicionais, batatas rústicas, kibes árabes – 4

opções de molhos)

Enobike Peterlongo (espumantes, vinhos e suco de uva)

 

Outros

Ivi Doces Artesanais (brownie e bolo de pote)

Dolcetto do Vale (doce gelado)

 

Passeios ciclísticos

– De Bento a Garibaldi

Saída: às 10h, em frente ao Dall’Onder Grande Hotel

Chegada: às 14h, na Vinícola Peterlongo

Percurso: 17km

Inscrições gratuitas e antecipadas: Dall’Onder Grande Hotel e Schenato

Bicicletas

 

– Em Garibaldi

Saída: às 14h, na Vinícola Peterlongo

Chegada: às 15h, na Vinícola Peterlongo

Percurso: 8km

Inscrições gratuitas e antecipadas: Varejo da Peterlongo, Secretaria de

Esportes de Garibaldi e Casa das Bicicletas

Turistas podem participar de poda de vinhedos em Bento Gonçalves

um dia de poda

Turistas participam de poda das videiras. Foto: divulgação

Todo ano, no inverno, os viticultores fazem a poda dos parreirais. O processo poderá ser conhecido de perto por turistas na Vinícola Larentis, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Fazer a limpeza dos ramos em excesso da videira possibilita o equilíbrio da brotação, a renovação da produção nos parreirais e a melhora da qualidade das uvas. A atividade, batizada de “Um dia de poda”, será em sábados: no dia 30 de julho e no dia 6 de agosto, dia 6, sempre a partir das 14h30min. As vagas são limitadas para 20 pessoas. O valor para participar é R$ 40.

Os turistas, primeiro, acompanharão uma palestra de 30 minutos, que discorrerá sobre a poda na qualidade dos vinhos, com informações e curiosidades a respeito da produção vitivinícola. Em seguida serão fornecidas instruções para a poda e, depois, os visitantes vão colocar a mão na massa, ou melhor, na tesoura. O encontro encerra com uma visitação técnica à vinícola e degustação de vinhos e espumantes.

 

Um dia de poda

Onde: Vinícola Larentis, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves

Quando: 30 de julho e 6 de agosto de 2016

Horário: 14h30min

Valor: R$ 40

Informações e reservas: (54) 3453.6469 ou larentis@larentis.com.br

Almoço no restaurante da Vinícola Monte Reale, em Flores da Cunha (RS)

Monte Reale

Do restaurante da Monte Reale, dá para ver as barricas. Foto: Kelly Pelisser

A Monte Reale, vinícola localizada bem na entrada de Flores da Cunha, está se consolidando como um espaço para eventos e para festas sunset. Mas, também tem um restaurante que atende ao público todos os domingos para almoços. Eventualmente, são realizados jantares em noites especiais.

No almoço, o cardápio é o típico italiano, sopa de agnoline, saladas, tortéi, maionese, spaghetti, galeto ao primo canto, bife à milanesa, e, de sobremesa, sagu com creme. O preço é R$ 55 por pessoa, fora a bebida. O almoço é servido numa antessala da vinícola. Você almoça com a visão de barricas e tanques de alumínio.

restaurante vinícola Monte Reale

Cardápio servido no restaurante aos domingos é o típico italiano. Foto: Kelly Pelisser

A vinícola está passando por um processo de transformação para a produção também de cerveja artesanal e chopp. O chopp deve começar a ser vendido em dois meses. A cerveja deve ser lançada ainda neste ano. A reforma inclui ainda a construção de um bar, que atenderá ao público com venda de cerveja e vinho. Também o espaço para eventos deve ser ampliado. A produção da bebida feita de uva não deve ser reduzida porque a empresa tem outros dois pontos de vinificação, um em Flores da Cunha e outro em Caxias do Sul. A ideia de produzir cerveja surgiu pelo boom do setor e também porque, em muitos eventos na vinícola, os contratantes pedem cerveja porque nem todos os convidados bebem vinho.

Outro projeto que deve ser retomado no futuro é a construção de uma pousada nos fundos da vinícola. Ela chegou a ser iniciada, mas foi paralisada. A pousada é ligada à vinícola por meio da cave subterrânea, onde os vinhos e espumantes descansam. E tudo isso fica na área urbana do município.

 

Vinícola Monte Reale

Onde: Avenida 25 de Julho, 5005, Flores da Cunha, RS

Horários: varejo, de segunda à sexta, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h30min, sábados, das 10h às 18h, e domingos, as 9h30min às 13h30min. Restaurante, domingos, ao meio-dia.

Mais: site e Facebook

 

 

Piccolo Piacere na Vinícola Dal Pizzol, em Bento Gonçalves (RS)

Vinícola Dal Pizzol

Esse é um dos cenários do Piccolo Piacere na vinícola. Foto: Kelly Pelisser

A Dal Pizzol é uma vinícola no distrito de Faria Lemos, em Bento Gonçalves, que produz vinhos bem interessantes sem uso de madeira (nenhum produto matura em barricas de carvalho). A área para visitação é linda, feita para turistas. Não se visita nem a vinícola, nem vinhedos. No espaço, há muita natureza, um lago e animais (como gansos, pavões e cisnes negros). Na área fica o museu do vinho, uma sala com garrafas antigas, tanto internacionais quanto nacionais e da própria vinícola. Ao lado, funciona o varejo, onde é possível degustar e comprar os produtos.

vinhedo do mundo

Antônio Dal Pizzol mostra o vinhedo do mundo. Foto: Kelly Pelisser

Outro lugar muito interessante é o vinhedo do mundo, com 420 variedades de videiras de 30 países. Essa é uma das três experiências no mundo nesse sentido, as outras ficam na Itália e França. A uva desses parreirais é colhida para fazer o vinho do mundo. Na última safra, foram utilizadas 165 variedades, tanto brancas quanto tintas, para produzir um vinho comemorativo, que não é vendido. Em cada ano, são entre 500 e 600 garrafas.

Na área da vinícola fica também um restaurante, que só atende eventos sob reserva para, no mínimo, 20 pessoas. Os vinhedos são terceirizados há cerca de uma década e se encontram em Bagé, André da Rocha e São Jorge.

vinícola Dal Pizzol

O Piccolo Piacere, piquenique sob agendamento na Dal Pizzol. Foto: Kelly Pelisser

Aproveitando a área muito bonita, a Dal Pizzol oferece agora um piquenique ao ar livre chamado Piccolo Piacere. É necessário agendar com antecedência. É montado um espaço com almofadas e toalha para receber uma caixa de madeira onde estão queijos, salame, copa, nozes, castanhas, damascos e grissinis, antepasto, requeijão e chimia de uva, mais uma garrafa de vinho à escolha dos clientes. Se houver crianças, tem também um suco de uva. Para um casal, sai por R$ 150. Participei de um dos piqueniques com um grupo de jornalistas e o diretor-presidente da vinícola, Antônio Dal Pizzol. Ele é uma figuraça e nos contou um pouco dos 42 anos de história da Dal Pizzol, que nasceu por iniciativa do pai dele, que era produtor em Faria Lemos. Do Piccolo Piacere, posso dizer que tudo estava ótimo! O dia era bem frio, mas, mesmo assim, foi muito bacana sentar em meio à natureza e apreciar aperitivos e um bom vinho.

 

Vinícola Dal Pizzol

Onde: RS-431, Km 5,3, distrito de Faria Lemos, Bento Gonçalves, RS

Horários: de segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 11h40min e das min às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h30min.

Mais: site e Facebook

 

 

Vinícola Luiz Argenta e Restaurante Clô, em Flores da Cunha (RS)

luiz argenta

Paisagem linda e taça que o visitante ganha no tour. Foto: Kelly Pelisser

A Luiz Argenta é uma vinícola nova e super moderna de Flores da Cunha (RS). O prédio tem linhas arrojadas e a paisagem formada pelos vinhedos e um lago é lindíssima, bem no meio da cidade. A vinícola lembra muito as bodegas (as vinícolas) de Mendoza, na Argentina. E ganhou, há um mês, um restaurante no terraço, todo com vidros à volta para aproveitar a paisagem belíssima, que serve almoço de terça a domingo.

vinícola Luiz Argenta

Vinhos são produzidos a partir de vinhedos próprios. Foto: Kelly Pelisser

A vinícola existe há apenas sete anos, mas a área onde ela fica é histórica para a vitivinicultura gaúcha. O terreno era da antiga cooperativa Rio-Grandense, que fabricava os vinhos da marca Granja União e que foi a primeira a trazer uvas viníferas para o Brasil, em 1929. A Luiz Argenta trabalha apenas com vinhos finos produzidos a partir de vinhedos próprios. A sacada do prédio, logo ao lado do varejo, com vista para os parreirais, é parada obrigatória para fotos. O ambiente é super agradável.

Luiz argenta

Prédio tem arquitetura moderna. Foto: Kelly Pelisser

Há tours às 10h, 14h, 15h e 16h, de terça a domingo, que incluem degustação, ao preço de R$ 40. O visitante ganha uma taça de cristal com o logo da empresa que serve tanto vinho quanto espumante (a taça é linda!). Mas, se você não quiser fazer o passeio completo, pode só visitar o varejo e fazer fotos na sacada.

Na cave subterrânea, escavada no basalto, o teto tem círculos que impedem a propagação das vozes dos visitantes, para que os vinhos descansem em paz. Aliás, eles ouvem música instrumental, jazz e MPB, que toca baixinho no ambiente, para que as bebidas evoluam melhor.

restaurante Clô

Restaurante fica no terraço e serve almoço. Foto: Kelly Pelisser

Além de toda a arquitetura moderna do prédio, há uma linha de vinhos com garrafas-design. Elas são em formatos não convencionais, ficam de pé ou semideitadas e algumas encaixam umas nas outras. O rótulo é biodegradável e sai fácil. A ideia é que sejam reaproveitadas como peça de decoração, vaso de flores ou garrafas de água, após o vinho ter sido consumido.

restaurante clô luiz argenta

Restaurante Clô, todo em vidro, tem vista linda. Foto: Kelly Pelisser

A beleza das formas e o aproveitamento da bela paisagem no entorno estão também no recém-inaugurado restaurante Clô (homenagem à matriarca da família. Luiz era o patriarca dos Argenta). O espaço foi construído no terraço da vinícola. Serve almoço, com pratos requintados e vinho da casa, inclusive em taças, de terça a domingo. À noite, atende apenas eventos, com mínimo de 20 pessoas. De terça a sexta, há o prato do dia por R$ 39. Em todos os dias, se a opção for uma sequência com couvert, salada, sopa, entrada, prato principal e sobremesa, o preço é R$ 79 por pessoa (a bebida não está incluída). Há opções de menu infantil e para vegetarianos. A vista é encantadora e o atendimento é para quem chegar até 15h. Na visita que fiz, já eram 16h, e ainda havia pessoas comendo.

A vinícola é linda demais e vale a visita. Certamente, vai render muitas fotos.

 

 

Luiz Argenta Vinhos Finos

Onde: Avenida 25 de Julho, 700, Flores da Cunha, RS

Horários: a vinícola e o restaurante abrem de terça a domingo. Varejo, das 9h40min às 18h.  Os tours com degustação saem às 10h, 14h, 15h e 16h (não há reservas. É por ordem de chegada. O preço é R$ 40, com uma taça de cristal). Restaurante, do meio-dia às 15h.

Mais: site e Facebook