Ibravin estima que não deverá faltar suco de uva até o final do ano

Foto: Ale Ruaro, divulgação

Suco não deve faltar. Foto: Ale Ruaro, divulgação

A gente já tinha falado aqui no blog de uma estimativa do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) que poderia faltar suco de uva no fim deste ano ou no início do próximo, em função da quebra da safra por causa do clima. Pois um levantamento do instituto, baseado em dados de anos anteriores e em estimativas de projeção para os próximos meses, aponta que, até o fim de 2016, não deverá faltar a bebida nos estoques do setor. Isso porque a quebra de 57% na safra de uva deste ano, que aumentou o custo da matéria-prima, aliada à elevação dos insumos e ao aumento da tributação, impulsionou o preço do produto e, por consequência, ocasionou o recuo nas vendas. Assim, se a procura se mantiver como nos seis primeiros meses do ano, a demanda será atendida. E dezembro se encerrará com saldo positivo de mais de 11 milhões de litros.

O segundo semestre deste ano começou com um estoque de 67 milhões de litros de suco de uva. Isso representa 3,5 milhões a mais do que foi comercializado de agosto a dezembro de 2015. A estimativa do Ibravin é que 55,7 milhões de litros poderão ser vendidos até dezembro.

A venda de suco de uva vinha crescendo em média 25% ao ano, mas, em 2016, isso não se repetiu. A retração da economia, a redução do poder aquisitivo das famílias e o aumento do custo de produção contribuíram para a queda na comercialização. Em 2017, a expectativa do Ibravin é que a safra seja normal e que o mercado seja normalizado. Porém, conversando com alguns proprietários de pequenas vinícolas, eles me estimaram que, pode, sim, faltar suco no empreendimento deles. Ou seja, se você gosta de uma marca específica, pode não contar com ela até o fim do ano, mas, no mercado como um todo, não irá faltar.

Suco orgânico de uva com beterraba ou alface de cooperativa de Garibaldi

coopeg garibaldi sucos

Sucos funcionais antioxidante e calmante. Foto: Kelly Pelisser

Muito legal a proposta da Cooperativa de Produtores Ecologistas de Garibaldi (Coopeg). São 53 famílias de pequenos agricultores de nove municípios da Serra gaúcha, que produzem mais de 50 diferentes frutas, verduras e hortaliças além de sucos de uva, vinhos e espumantes livres de agroquímicos. Eles acabaram de lançar dois sucos funcionais, neste fim de semana, na Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia (Biofach 2016), em São Paulo. Um é antioxidante, com uva, beterraba e gengibre, o outro é calmante, com uva e alface. A Coopeg já foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como modelo de Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável.

Os sucos são resultado de um ano e meio desenvolvimento e foram batizados de AntiOx e Uva Zen. Além de suco de uva integral orgânico, o primeiro tem beterraba e gengibre, apresentando propriedades antioxidantes e um aporte extra de ferro. Já o segundo tem adicionado suco de alface, que possui compostos que atuam como calmantes naturais. Os produtos não possuem adição de açúcar, corantes ou conservantes artificiais. Eles estarão disponíveis em garrafinhas de 300 ml. Os produtos foram desenvolvidos com recursos da Financiadora de Estudo e Projetos (Finep) e Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado do RS (Fapergs), por meio do edital Tecnova-RS.

Eu provei os dois. São bem bons, mas tem cheiro e gosto bem diferentes de suco de uva, apesar da cor ser igual. Naquele que leva beterraba, você logo percebe o gosto desse ingrediente. Já o de alface, eu não diria que tem gosto dessa verdura exatamente, mas é perceptível que há algo além da uva. Gostei dos dois, mas, para o meu gosto, eu preferi o de beterraba. Como são lançamentos, ainda não estão disponíveis em supermercados.

 

Mais: site e Facebook da Coopeg

 

 

10 coisas para fazer na Festa da Uva, de Caxias do Sul (RS)

Fui neste domingo conferir a Festa da Uva, de Caxias do Sul. Curti muito. As atrações tradicionais estão todas lá, mas também há novidades. Listo aí o que eu achei que mais valeu a pena para você também aproveitar nessa última semana que falta para o evento encerrar:

 

Bem na entrada, você tira foto nesse carreto com chapéu de colono. Uma graça! Foto: arquivo pessoal

Bem na entrada, você tira foto nesse carreto com chapéu de colono. Uma graça! Foto: arquivo pessoal

A chegada
A passagem é obrigatória logo depois das catracas da entrada. E que bonito que ficou! Um parreiral artificial saúda os visitantes, junto com atores que recebem o público com muita simpatia. Por ali está uma piscina (uma pipa na verdade) só com bolinhas roxas (uma diversão para a criançada!). Debaixo do parreiral está um carretão com pipas, onde te emprestam um chapéu de palha para uma foto bem bacana.

Museu do Video Game na Festa da Uva

Dá pra jogar Sonic, Mário Bros, Street Fighter… Foto: Kelly Pelisser

Museu do Vídeo Game
Uma novidade sensacional! O museu, bem no início do Pavilhão 1, tem mais de 200 consoles de vídeo game, com jogos clássicos das décadas de 1970, 1980 e 1990. E o melhor: dá para jogar!!! Tem Atari que funciona! Eu joguei Sonic e Mario Bros (ai, que saudades!). Mas você também pode escolher Street Fighter, Mortal Kombat, Pac-Man… e esses mais modernos de Playstation, Wii ou aqueles de dancinha. O mais legal é a reação dos adultos: “eu tinha um desse!!!” Ah, sim, é de graça. É só chegar.

Churro com recheio de branquinho e cobertura de Kit Kat e amendoim. Foto: Kelly Pelisser

Perdição chamada Churritus: esse com recheio de branquinho e cobertura de Kit Kat e amendoim. Foto: Kelly Pelisser

Comer, comer
Esqueça a dieta. A Festa da Uva é o paraíso das coisas doces, gordurosas e deliciosas. Já no Pavilhão 1 eu me atraquei num Churritus, um churro que você escolhe o recheio (tem nutella, branquinho, chocolate branco, limão, uva…) e duas coberturas (coco, Negresco, Confeti, nozes, amendoim…). Peguei um com recheio de branquinho e cobertura de Kit Kat picado e amendoim torrado. Voltei depois pra pegar outro com recheio de chocolate branco e cobertura de coco ralado e nozes. Um milhão de calorias, mas azar! Em qualquer lugar do parque, não se passa fome. A praça de alimentação mesmo fica no Pavilhão 2, mas por toda parte, você encontra coisas pra comer. Entre o Pavilhão 2 e a Réplica de Caxias estão também seis food trucks.

Pão assado no forno na Festa da Uva

Pão assado no forno é muito amor! Foto: Kelly Pelisser

Comprar pão e cuca assados em forno a lenha na hora e uvas
Bah, sabe aquele pão feito no forno, que recém saiu, quentinho? Outro gosto, né? Na saída do Pavilhão 1 (em direção ao 2) tem o forno tradicional que vende pães (R$ 7), cucas (R$ 10) e folhados (R$ 3). Ali do ladinho tem uma banca que vende uvas Itália, aquelas dos grãos grossos, por R$ 9,5 o quilo. Outros dois estandes de uva estão no caminho entre o Pavilhão 2 e a entrada.

Gramado da Festa da Uva

Pessoal aproveitando o gramado na saída do Pavilhão 1. Foto: Kelly Pelisser

Lagartear na grama
Cansou e o dia tá bonito? Senta na grama! Tem o gramadinho na saída do Pavilhão 1, onde se pode curtir um showzinho até. E também o gramado da Réplica de Caxias. Leva uma comidinha e aproveita no estilo piquenique pra fugir da muvuca dos Pavilhões.

Vila dos Distritos na Festa da Uva

A nona de Forqueta fazendo dressa. Foto: Kelly Pelisser

Vila dos Distritos
O espaço tradicional naquele cantinho mais baixo do Pavilhão 2 abriga o melhor do interior de Caxias. Os distritos mostram sua produção. Tem artesanato lindo de Santa Lúcia do Piaí (amei os imãs de geladeira com uma pombinha do Espírito Santo em madeira ou confeccionados com pinhão), tem chimia de uva e pão no forno e tem as nonas fazendo dressa (a trança de palha de milho para fazer chapéus ou cestas).

Espaço Nostra América na Festa da Uva

Adoreit a prefeitura de Bento do lado do casarão de Antônio Prado. Foto: Kelly Pelisser

Espaço Nostra América, com cidades da região
Também no Pavilhão 2, reproduz o centrinho de uma cidade, com um coreto onde há apresentações. Mas o legal é que ao redor estão, lado a lado, prédios tradicionais de cidades da região. Tem a igreja e o galo de Flores da Cunha, a prefeitura de Bento Gonçalves, a Casa Saretta de Veranópolis… Cada um desses prédios é um estande do município em questão.

Vinícolas na Festa da Uva

Tem chopp de vinho no estande da cooperativa Forqueta. Foto: Kelly Pelisser

Vinícolas e agroindústrias
Não se acanhe e prove. Pelo coração do Pavilhão 2, dá para experimentar sucos, vinhos e chopp de uva no espaço das vinícolas. Ou comprar, claro! Também há venda em copos (suco a R$ 3) ou em taça (de vinho ou espumante). Os estandes das agroindústrias são uma perdição: salames, copas, queijos, geleias, mel; frutas, legumes e vegetais cristalizados (provei cenoura e batata-doce. Bem bons). Fui passando e pegando provinhas…

Degustação de uva na Festa da Uva

Selfie da uva com a cidade ao fundo. Foto: Kelly Pelisser

Uva no Mirante
Claro que você não vai sair da Festa da Uva sem pegar a sua uva, né? É preciso paciência para chegar no Palácio das Uvas (tem que descer a rampa do Pavilhão 2) num domingo. A minha dica é, quando chegar ao fim da rampa, caminhar até o início da distribuição de uvas, no lado contrário da entrada: ali tem pouca gente pegando. E, por favor, coma a uva no mirante lá fora. A vista de Caxias é linda! E, se você conhece a cidade, tem sempre o tradicional: “lá é a igreja dos Capuchinhos, né? Aquela é a Moreira Cesar?” Ah, claro, e a foto com a cidade ao fundo.

Replica de Caxias do Sul na Festa da Uva

O pastel de costelão com charque tá, mais ou menos, nessa altura da Réplica. Foto: Kelly Pelisser

Réplica de Caxias
A Réplica de Caxias de 1885 está lá o ano inteiro, mas eu acho um pecado ir no parque e não dar uma passada. As construções em madeira são lindas e parecem que ficam mais “vivas” no período da festa. Além de abrigar museus (da festa, da água, do comércio), as casinhas também oferecem comida e são uma boa opção para fugir do tumulto da praça de alimentação. E comer com esse cenário tem outro valor. Eu comi um pastel ótimo lá, chamado gaúcho, com costela desfiada, charque e requeijão (R$ 7).

 

Festa da Uva
Até 6 de março de 2016, no Parque de Eventos de Caxias do Sul
Horários: de segunda a sexta, das 14h às 22h, sábado e domingo, das 9h às 22h.
Ingressos: de segunda a quinta, R$ 12,00 e R$ 6,00 (meia entrada para idosos e estudantes); de sexta a domingo, R$ 15,00 e R$ 7,50 (meia entrada para idosos e estudantes. Estacionamento: R$ 15. Há uma linha de ônibus especial, com saída ao lado do colégio Presidente Vargas, no centro de Caxias em direção aos Pavilhões da Festa da Uva. As linhas regulares dos bairros Pioneiro, Por do Sol e Vinhedos também têm paradas na área central e passam perto da festa.
Informações: http://www.festanacionaldauva.com.br/