Almoço no restaurante da Vinícola Monte Reale, em Flores da Cunha (RS)

Monte Reale

Do restaurante da Monte Reale, dá para ver as barricas. Foto: Kelly Pelisser

A Monte Reale, vinícola localizada bem na entrada de Flores da Cunha, está se consolidando como um espaço para eventos e para festas sunset. Mas, também tem um restaurante que atende ao público todos os domingos para almoços. Eventualmente, são realizados jantares em noites especiais.

No almoço, o cardápio é o típico italiano, sopa de agnoline, saladas, tortéi, maionese, spaghetti, galeto ao primo canto, bife à milanesa, e, de sobremesa, sagu com creme. O preço é R$ 55 por pessoa, fora a bebida. O almoço é servido numa antessala da vinícola. Você almoça com a visão de barricas e tanques de alumínio.

restaurante vinícola Monte Reale

Cardápio servido no restaurante aos domingos é o típico italiano. Foto: Kelly Pelisser

A vinícola está passando por um processo de transformação para a produção também de cerveja artesanal e chopp. O chopp deve começar a ser vendido em dois meses. A cerveja deve ser lançada ainda neste ano. A reforma inclui ainda a construção de um bar, que atenderá ao público com venda de cerveja e vinho. Também o espaço para eventos deve ser ampliado. A produção da bebida feita de uva não deve ser reduzida porque a empresa tem outros dois pontos de vinificação, um em Flores da Cunha e outro em Caxias do Sul. A ideia de produzir cerveja surgiu pelo boom do setor e também porque, em muitos eventos na vinícola, os contratantes pedem cerveja porque nem todos os convidados bebem vinho.

Outro projeto que deve ser retomado no futuro é a construção de uma pousada nos fundos da vinícola. Ela chegou a ser iniciada, mas foi paralisada. A pousada é ligada à vinícola por meio da cave subterrânea, onde os vinhos e espumantes descansam. E tudo isso fica na área urbana do município.

 

Vinícola Monte Reale

Onde: Avenida 25 de Julho, 5005, Flores da Cunha, RS

Horários: varejo, de segunda à sexta, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h30min, sábados, das 10h às 18h, e domingos, as 9h30min às 13h30min. Restaurante, domingos, ao meio-dia.

Mais: site e Facebook

 

 

Vinícola Luiz Argenta e Restaurante Clô, em Flores da Cunha (RS)

luiz argenta

Paisagem linda e taça que o visitante ganha no tour. Foto: Kelly Pelisser

A Luiz Argenta é uma vinícola nova e super moderna de Flores da Cunha (RS). O prédio tem linhas arrojadas e a paisagem formada pelos vinhedos e um lago é lindíssima, bem no meio da cidade. A vinícola lembra muito as bodegas (as vinícolas) de Mendoza, na Argentina. E ganhou, há um mês, um restaurante no terraço, todo com vidros à volta para aproveitar a paisagem belíssima, que serve almoço de terça a domingo.

vinícola Luiz Argenta

Vinhos são produzidos a partir de vinhedos próprios. Foto: Kelly Pelisser

A vinícola existe há apenas sete anos, mas a área onde ela fica é histórica para a vitivinicultura gaúcha. O terreno era da antiga cooperativa Rio-Grandense, que fabricava os vinhos da marca Granja União e que foi a primeira a trazer uvas viníferas para o Brasil, em 1929. A Luiz Argenta trabalha apenas com vinhos finos produzidos a partir de vinhedos próprios. A sacada do prédio, logo ao lado do varejo, com vista para os parreirais, é parada obrigatória para fotos. O ambiente é super agradável.

Luiz argenta

Prédio tem arquitetura moderna. Foto: Kelly Pelisser

Há tours às 10h, 14h, 15h e 16h, de terça a domingo, que incluem degustação, ao preço de R$ 40. O visitante ganha uma taça de cristal com o logo da empresa que serve tanto vinho quanto espumante (a taça é linda!). Mas, se você não quiser fazer o passeio completo, pode só visitar o varejo e fazer fotos na sacada.

Na cave subterrânea, escavada no basalto, o teto tem círculos que impedem a propagação das vozes dos visitantes, para que os vinhos descansem em paz. Aliás, eles ouvem música instrumental, jazz e MPB, que toca baixinho no ambiente, para que as bebidas evoluam melhor.

restaurante Clô

Restaurante fica no terraço e serve almoço. Foto: Kelly Pelisser

Além de toda a arquitetura moderna do prédio, há uma linha de vinhos com garrafas-design. Elas são em formatos não convencionais, ficam de pé ou semideitadas e algumas encaixam umas nas outras. O rótulo é biodegradável e sai fácil. A ideia é que sejam reaproveitadas como peça de decoração, vaso de flores ou garrafas de água, após o vinho ter sido consumido.

restaurante clô luiz argenta

Restaurante Clô, todo em vidro, tem vista linda. Foto: Kelly Pelisser

A beleza das formas e o aproveitamento da bela paisagem no entorno estão também no recém-inaugurado restaurante Clô (homenagem à matriarca da família. Luiz era o patriarca dos Argenta). O espaço foi construído no terraço da vinícola. Serve almoço, com pratos requintados e vinho da casa, inclusive em taças, de terça a domingo. À noite, atende apenas eventos, com mínimo de 20 pessoas. De terça a sexta, há o prato do dia por R$ 39. Em todos os dias, se a opção for uma sequência com couvert, salada, sopa, entrada, prato principal e sobremesa, o preço é R$ 79 por pessoa (a bebida não está incluída). Há opções de menu infantil e para vegetarianos. A vista é encantadora e o atendimento é para quem chegar até 15h. Na visita que fiz, já eram 16h, e ainda havia pessoas comendo.

A vinícola é linda demais e vale a visita. Certamente, vai render muitas fotos.

 

 

Luiz Argenta Vinhos Finos

Onde: Avenida 25 de Julho, 700, Flores da Cunha, RS

Horários: a vinícola e o restaurante abrem de terça a domingo. Varejo, das 9h40min às 18h.  Os tours com degustação saem às 10h, 14h, 15h e 16h (não há reservas. É por ordem de chegada. O preço é R$ 40, com uma taça de cristal). Restaurante, do meio-dia às 15h.

Mais: site e Facebook

 

Vinícola, pousada e restaurante Don Giovanni, em Pinto Bandeira (RS)

pousada vinícola Don Giovanni

Pousada fica numa casa de 1930. Foto: Kelly Pelisser

A vinícola Don Giovanni é um lugar lindo para se conhecer em Pinto Bandeira, pertinho de Bento Gonçalves. No mesmo endereço, ficam a plantação de uvas, a vinícola, o varejo e uma pousada, que também tem restaurante. A propriedade é super charmosa e aconchegante. A empresa produz vinhos e espumantes excelentes (experimente o rosé brut, por favor).

Vinícola Don Giovanni

Espumante brut rosé: apenas prove! Foto: Kelly Pelisser

Eu já tinha passado pela vinícola, mas pude conhecer melhor o espaço a convite do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e do Sindicato Empresarial da Gastronomia e Hotelaria da Região Uva e Vinho (Segh), como parte da programação do Dia do Vinho. A visitação à vinícola custa R$ 20 por pessoa, que são totalmente revertidos em compras no varejo depois. Você pode conhecer o processo de produção, as caves (onde os vinhos e espumantes maturam) e os vinhedos. A caminhada em meio aos parreirais é muito bacana, em qualquer época do ano. Agora, as folhas estão amareladas ou já caídas. No meio dos vinhedos, há um pequeno mirante, numa caixas d’água, onde se pode ter uma visão melhor do terreno e ver o pôr do sol. Para quem curte bichos, há ovelhinhas e um pônei na propriedade. Outro fator interessante: há dois anos, iniciou-se um processo para uma condução biodinâmica dos vinhedos. A ideia é reduzir o máximo possível, ou até eliminar, o uso de defensivos agrícolas. Assim, a poda é feita de acordo com o calendário lunar. Entre as fileiras de videiras são plantados trevo branco e aveia para regular nutrientes do solo. Também é utilizada uma máquina que joga ar quente nas plantas para fazê-las “secar” e, com isso, terem incidência menor de fungos, e por conseguinte, menor necessidade de tratamentos químicos. Essa máquina também entra em cena em noites geladas para aumentar a temperatura dos vinhedos e tentar evitar a formação de geada, que prejudica as plantas.

Don giovanni vinhedos

Manejo biodinâmico de vinhedos pretende reduzir volume de defensivos. Foto: Kelly Pelisser

Para quem aproveitar melhor todo esse ambiente, a pousada Don Giovanni tem sete apartamentos num casarão de 1930, com móveis antigos, e mais um apartamento num alojamento separado, que foi reformado e onde cabem até cinco pessoas. No casarão, os apartamentos custam R$ 400. O oitavo apartamento, que tem banheira de cromoterapia, mezanino e dois banheiros, sai por R$ 600. Normalmente, em fins de semana e feriados, a pousada lota. É bom reservar com antecedência. Há uma piscina na área externa e um deck onde fica um fogão a lenha. Antes do jantar, fomos recebidos com pinhões assados na chapa e vinho. Coisa bem boa!

Cava vinícola Don Giovanni

Visitante podem conhecer as cavas onde ficam os vinhos e espumantes. Foto: Kelly Pelisser

O restaurante atende qualquer pessoa, não só hóspedes, mas é preciso agendar. Ele fica no porão de pedra da casa. Nos sábados, sempre tem um jantar harmonizado. Nos outros dias, é preciso consultar porque o restaurante só abre se tiver um grupo mínimo de 15 pessoas (aos sábados, você pode jantar sozinho ou num casal só). Há três cardápios fixos, com saladas, dois pratos e sobremesa, acompanhados de vinhos, espumantes, água, café e brandy. Os preços variam de R$ 115 a R$ 150 por pessoa, com tudo incluído. Os pratos são de gastronomia local, mas com um apelo bem próprio do restaurante. Vários dos itens utilizados no cardápio são produzidos na própria propriedade, como as alcachofras, as saladas e pêssegos.

Risoto de Alcachofras

Esse risoto maravilhoso tem alcachofras que são produzidas na própria propriedade. Foto: Kelly Pelisser

O nosso cardápio teve salada de alface com manga, aveia e redução de balsâmico. O primeiro prato foi um risoto de alcachofra com vinho chardonnay fantástico! Depois, veio um frango cozido na cerveja por três horas com batatas assadas e uva passa. Por fim, de sobremesa, cassata com calda feita com leveduras retiradas após a segunda fermentação dos espumantes acompanhada de pêssegos. Todos os pratos são harmonizados com vinhos ou espumantes. Tudo muito delícia e com um atendimento que faz você se sentir em casa.

Ah, dica: passando por Pinto Bandeira, você também pode visitar as vinícolas Cave Geisse e Valmarino.

 

Don Giovanni

Onde: Linha Amadeu, 28, Km 12 (é super fácil de achar, na estrada que liga Bento a Pinto Bandeira, há placas indicando onde você deve entrar, antes ainda de chegar ao centro do município), Pinto Bandeira (RS)

Mais: site e Facebook

 

 

Dolmã Bistrô House, em Caxias do Sul (RS)

Dolmã Bistrô House - Crédito Fernando Dai Prá (3)

Casa onde funciona o bistrô. Foto: Dai Prá, divulgação

Tem mais novidade chegando na área de gastronomia em Caxias do Sul: o Dolmã Bistrô House abre as portas ao público nesta quinta-feira, dia 19. Mas o blog foi lá antes, numa inauguração apenas para convidados, e conta como é o lugar. O bistrô funciona em uma casa na Rua Pinto Bandeira, no bairro São Leopoldo (perto da Rua Sarmento Leite, da Rua Tronca). No andar de cima, fica o restaurante, num clima mais intimista, com lareira. Na parte de baixo, de pedra, um pub. A casa tem um deck para um jardim lindo, que conta, inclusive, com piscina. A ideia dos proprietários é ampliar o deck quando o clima esquentar e também utilizar a piscina para festas sunset no verão.

Dolmã Bistrô House - Crédito Fernando Dai Prá (1)

Andar inferior da casa é o pub. Foto: Fernando Dai Prá, divulgação

A cozinha é autoral, com um pé na culinária italiana (leia-se massas e filés, especialmente). Os cardápios do restaurante e do pub são diferentes. No primeiro, pratos mais requintados e inovações, como um dourado ao molho de açaí com granola e purê de batata e gengibre ou uma costelinha suína marinada em um mix de pimentas com chutney de abacaxi. Na parte de baixo, comidinhas pra beliscar ou para um lanche enquanto bebe algo com os amigos. A ideia do pub é, eventualmente, ter shows acústicos.

Dolmã Bistrô House - Crédito Fernando Dai Prá (1)

Andar superior é o restaurante. Foto: Fernando Dai Prá, divulgação

Os proprietários são dois irmãos, Douglas e Gabriel Andrade, que estreiam agora como empresários do ramo da gastronomia. O projeto arquitetônico é do arquiteto Ricardo Bosi, que privilegiou madeira e cores terrosas. Juntos, os dois ambientes comportam 70 pessoas sentadas e outras 150 em circulação. O menu leva a assinatura do chef caxiense Giovane Pisoni com consultoria de Leandro Veiga. Os valores dos pratos variam de R$ 20 a R$ 80. Na abertura, serviram aos convidados um coquetel, com apenas algumas amostras do que o bistrô oferece: uma saladinha caprese, um bolinho de tapioca com molho de pimenta, filé ao molho da casa e, de sobremesa, mousse de Kinder Ovo. O nome do restaurante, Dolmã, é uma homenagem ao traje usado pelos chefs de cozinha.

Dolmã Bistrô House - Crédito Fernando Dai Prá (1)

Detalhe da escadaria que liga os dois andares da casa. Foto: Fernando Dai Prá, divulgação

 

Dolmã Bistrô House

Onde: Rua Pinto Bandeira, 182, bairro São Leopoldo, Caxias do Sul (RS)

Horário: de terça-feira a sábado, das 19h às 2h, com cozinha em funcionamento até a meia-noite.

Mais: Facebook

 

 

Matteo Ristorante, em Caxias do Sul (RS)

Matteo ristorante

Prato expresso com massa e filé para o almoço. Foto: Kelly Pelisser

O Matteo Ristorante, na Avenida Julio de Castilhos, em Caxias do Sul, oferece almoço de segunda-feira a sábado, no estilo expresso, e jantar, com rodízio de massas e carnes, de segunda a sexta. Para o meio-dia, há quatro possibilidades de prato ou sopa de capeletti (agnoline, se preferir). Você opta por massa, filé, feijão e arroz (R$ 24,9); massa e dois filés (R$ 22,9); só massa (R$ 18,9) ou quatro filés (R$ 17,9). Os dois primeiros vem acompanhados de três polentas fritas, três pães caseiros pequeninhos e salada. Os dois últimos, só de salada. Em qualquer alternativa, você escolhe o tipo de massa (talharim, espaguete, nhoque, tortéi, macarrão ou ravióli de espinafre) e o tipo de molho que quer (alho e óleo, quatro queijos, carbonara, bolonhesa, frango, funghi ou sálvia e manteiga), assim como também escolhe o tipo de carne (mignon, frango, suíno, parmegiana, à milanesa) e o molho (só grelhado, nata, acebolado, alho poró, quatro queijos ou mostarda e mel).

À noite, o rodízio custa R$ 41,9 por pessoa. São servidos quatro antepastos, 17 tipos de massa e 15 carnes (são as mesmas possibilidades de almoço, em diferentes combinações). Para beber, a casa oferece vinho (com opção de pedir uma só taça), cerveja, água, refrigerante e suco.

entradinha do almoço, pequenos pães quentinhos e manteiga

Essa é a entradinha do almoço, pequenos pães quentinhos e manteiga. Foto: Kelly Pelisser

O lugar é pequeno e simples, mas acolhedor. Tem música ambiente, e a bebida, mesmo se for água, é servida em taças. Almocei lá e pedi talharim ao molho funghi acompanhado de dois filés mignon. De entrada, vem três pães pequeninhos quentinhos com manteiga. A comida chegou rápido. A porção de massa é bem generosa, mas os bifes são pequenos (não sei se talvez uma carne mais barata que mignon venha em porções maiores, já que o preço é o mesmo). A salada são folhas com champignon e tomate seco. Acompanhado de uma água, deu R$ 25,9. É uma opção interessante para variar o almoço e fugir um pouco dos buffets a quilo.

 

 

Matteo Ristorante

Onde: Avenida Júlio de Castilhos, 2802 (entre as ruas Feijó Jr e La Salle), bairro São Pelegrino, Caxias do Sul (RS)

Horários: de segunda a sexta, almoço, das 11h30min às 14h, e jantar, das 19h às 22h30min. Aos sábados, almoço, das 11h30min às 14h.

Mais: Facebook

 

Puerto Container, em Caxias do Sul (RS)

Puerto Container

Penne ao molho Puerto e filé ao molho de vinho. Foto: Kelly Pelisser

O Puerto Container, em Caxias do Sul, já começa diferente pelo prédio. Como o nome adianta, o restaurante foi construído com containers. A arquitetura peculiar é completada pela decoração que mistura itens bem em voga, como paredes de quadro negro, azulejos coloridos no piso e móveis de linhas limpa. O lado externo tem um deck, com mesinhas para aproveitar os dias de tempo seco. Bom, mas vamos ao que interessa, a comida. O cardápio tem saladas, hambúrgueres gourmet (ao estilo americano), carnes, massas, risotos, ala minuta e sobremesas.

Puerto Container hamburguer

Hambuguer Puerto com chips de batata doce. Foto: Kelly Pelisser

Provei um filé ao molho de vinho com massa estilo penne e molho Puerto (um molho da casa, com queijo e requeijão). Os dois bem bons. Os pratos vieram rapidinho. E os garçons foram muito atenciosos. A casa também oferece opções sem glúten e para vegetarianos. E tem uma carta de especiais bem bacana. Dos hambúrgueres, curti que alguns são com pão de batata doce ou de milho. Todos vêm acompanhados de batatas, ao estilo fritas, rústica ou chips de batata doce. Ah, aquele número que tem do lado do prato no cardápio é o preço mesmo. Fiquei em dúvida, porque não tem R$ escrito, só um número do lado dos ingredientes. As carnes custam entre R$ 27 e R$ 35 (já acompanhadas de uma massa à escolha). Os hambúrgueres grandes, de R$ 20 a R$ 25. O risoto, de R$ 34 a R$ 37.

Puerto Container Restaurante

Fachada do restaurante montado em containers. Foto: Kelly Pelisser

 

Puerto Container

Onde: Rua Duque de Caxias, 2415 (próximo do INSS), bairro Madureira, Caxias do Sul (RS)

Horários: de terça a sábado, das 18h45min às 23h. Até abril, também aos domingos, das 17h30min às 22h.

Mais: site e Facebook

 

eline

Casa da Panqueca, Caxias do Sul (RS)

Panqueca de carne de panela com massa integral

Panqueca de carne de panela com massa integral. Foto: Kelly Pelisser

Para quem é fã de massinha com recheio, um bom lugar para conhecer é a Casa da Panqueca, em Caxias do Sul. Fica na área central, na Rua Marechal Floriano (perto do Centro Comercial Alvorada). Você escolhe se quer salgada ou doce, nos tamanhos médio ou grande. Também dá para optar pela massa, tradicional, integral ou sem glúten e sem lactose.

As salgadas sempre vêm acompanhadas de salada (tomate, alface e cenoura) e batata palha. Para quem não come carne, há algumas opções, como a de brócolis, de palmito, primavera ou de rúcula e tomate seco. Nas salgadas, você também escolhe entre molho branco ou vermelho. Já as doces, são sempre acompanhadas de uma bola de sorvete de creme e confeitos estilo MMs para enfeitar. Uma panqueca média sai entre R$ 13,9 e R$ 19,9.

Panqueca de chocolate com doce de leite e massa tradicional.

Panqueca de chocolate com doce de leite e massa tradicional. Foto: Kelly Pelisser

As minhas escolhas foram uma de carne de panela, com massa integral, e outra de de chocolate e doce de leite, e massa tradicional. Peguei as médias e quase apanhei para comer duas, mas queria provar uma doce e outra salgada. Ah, também pedi um suco de abacaxi e estava bem docinho, sem açúcar. O ambiente é bacaninha e eles oferecem wi-fi. Abre de noite de terça a domingo, e de meio-dia, de quarta a sábado. Segundo o site, também tem Casa da Panqueca em Torres, no Litoral (RS).

Casa da Panqueca
Onde: Rua Marechal Floriano, 1378, Caxias do Sul (RS)
Horários: ao meio-dia, de quarta-feira a sábado, das 11h30min às 13h45min; à noite, de terça a quinta, das 18h45min às 23h, nas sextas e sábados, das 18h45min às 23h30min, e nos domingos, das 19h às 23h.
Veja mais: no site (tem o cardápio, inclusive) e Facebook