Circuito Enogastronômico Brasil na Boccati no dia 27 de outubro

Foto: Everson Almeida, divulgação

Vem mais um Circuito Enogastronômico da Boccati aí! Esse evento que é uma delícia (eu amo mesmo!) terá como tema o Brasil e tem data marcada para 27 de outubro, uma sexta-feira. Serão oito mesas com mais de 70 rótulos de vinhos e espumantes brasileiros, além de comidinhas nacionais e apresentações musicais de ritmos daqui. Para quem não conhece, a Boccati é uma loja de vinhos maravilhosa e enorme, que periodicamente faz eventos como o Circuito.

Serão 21 vinícolas apresentando seus produtos. Os rótulos serão harmonizados com pratos típicos preparados pela Escola de Gastronomia Sal a Gosto, pães da Pane e Salute e do restaurante Osaka Culinária Japonesa. Para sobremesa, doces típicos preparados pela chef Ana Ditadi, café Bom Jesus e sorvetes da Sorvelândia.

Das 20h à meia-noite, o público poderá conferir apreciar apresentações artísticas: samba com Dan Ferretti e Espaço de Dança André Ribeiro, MPB com Sandro Stecanela e música sertaneja com Cris Bianco. Vai rolar também quick massage e drinks com Tropical Bartenders. Haverá estacionamento com segurança e manobrista além de uma parceria com frota de táxi.

Os ingressos custam R$ 150 para provar à vontade os vinhos e as comidinhas. Vale demais a pena! O pessoal da Boccati sempre se puxa nesses eventos para oferecer produtos diferentes. Quem vai uma vez sempre quer ir em todas!

 

O que: Circuito Enogastronômico Brasil.
Quando: 27 de outubro, sexta-feira, das 20h à meia-noite.
Onde: Boccati (Rua Antônio Ribeiro Mendes, 2043, bairro Santa Catarina, Caxias do Sul, RS).
Quanto: R$ 150. Os Ingressos podem ser adquiridos na loja física ou virtual – www.boccati.com.br

Informações: 3224.9900 ou boccati@boccati.com.br.

 

 

Cardápio:

Mesas Frias 

– Frios variados

Sal a Gosto

– Sanduíche de mortadela;

– Mix Nuts;

– Patês artesanais.

Pane e Salute

– Pães Artesanais

RAR

– Queijo Gran Formaggio

Osaka Culinária Japonesa

– Ceviche de Salmão;

– Sashimi de Salmão, Atum e Peixe Prego;

– Sushi de Salmão, Jou Salmão e Jou Thizio;

– Uramaki de Salmão e Skin;

– Hossomaki de Salmão.

Finger Food 

Sal a Gosto:

– Aipim frito;

– Bolinhos de bacalhau;

– Linguiça campeira acebolada.

Pratos Quentes

Sal a Gosto:

– Arroz carreteiro;

– Farofa caseira;

– Feijoada gourmet.

Mesa de Doces 

Chef Ana Paula Ditadi

– Cocadinha Cremosa

– Brigadeiro de Chocolate 70%

– Brigadeiro de Açaí com Granola

– Mousse de Paçoquinha

– Tartelette de Cappuccino

 

Vinhos:

Mesa 1 – (Região Garibaldi)

Garibaldi Pinot Noir Brut Rosé

Garibaldi Prosecco

Garibladi VG Extra Brut

Peterlongo Presence Brut Rose 750ML

Peterlongo Armando Memoria Merlot

Chandon Brut Reserva 750ML

Chandon Passion Rose 750ML

Chandon Excellence Cuvee Prestige 750ML

Peterlongo Elegance Champagne Brut

Mesa 2 – (Pinto Bandeira/Antônio Prado/Campos de Cima da Serra)

Valmarino Brut Prosecco

Zanella Espumante Nature

Fazenda Santa Rita Merlot Rose

Fazenda Santa Rita Sauvignon Blanc

Don Giovanni Stravaganzza Brut

Fazenda Santa Rita Pinot Noir

Zanella Chardonnay 750ML

Zanella Percentual

Don Giovanni Nature

Valmarino e Churchill Brut Champenoise

Don Giovanni Brut Ouro

Valmarino Cabernet Franc 750ML

Valmarino Reserva da Familia TTO

 

Mesa 3 – (Campos de Cima da Serra)

RAR Collezione Sauvignon Blanc 750ML

RAR Cuvee Nilva Brut Rose

RAR Collezione Pinot Noir

RAR Reserva de Família Cab. Sauvignon/Merlot

 

Mesa 4 – (Vale dos Vinhedos)

Vallontano Chardonnay

Pizzato Chardonnay

Pizzato Reserva Merlot

Terragnolo Reserva Marselan

Pizzato Brut Rose

Terragnolo Reserva Merlot 750ML

Vallontano LH Zanini Espumante Extra Brut

Pizzato Fausto Verve Gran Res Cab Sauv Merlot Tannat

Era dos Ventos Trebbiano on The Rock 750ML

Vallontano Oriundi

Terragnolo Marselan Boulder

 

Mesa 5 – (Vale dos Vinhedos)

Aurora Reserva Merlot Rosé

Aurora Pinto Bandeira Pinot Noir 750ML

Aurora Millesime Cabernet Sauvignon

Miolo Brut Milessime

Miolo Cuvee Giuseppe Chardonnay

Miolo Merlot Terroir

Miolo Lote 43 Merlot Cabernet

 

Mesa 6 – (Vale dos Vinhedos/ Garibaldi/ Faria Lemos)

Ponto Nero Brut Rosé

Dal Pizzol Gamay Beaujolais

Casa Valduga Identidade Gewurztraminer

Dal Pizzol Touriga Nacional 200 anos

Dal Pizzol Pinot Noir

Casa Valduga Sur Lie Nature 30 Meses

Ponto Nero Brut Blanc de Blancs 750ML

Casa Valduga Gran Reserva Villa Lobos

Casa Valduga Storia Merlot Gran Reserva 2011

 

Mesa 7 – (Flores da Cunha)

Familia Bebber Sentiero Reserva Cabernet Franc

Familia Bebber Sentiero Reserva Tannat

Familia Bebber Vero Brut Rosé

Luiz Argenta Jovem Gewurztraminer

Luiz Argenta Jovem Shiraz 750ML

Luiz Argenta Cave Corte

 

Mesa 8 – (Casca/ Farroupilha/ Alto Feliz)

Don Guerino Brut Rosé

Don Guerino Torrontes Vintage

Don Abel Chardonnay

Casa Perini Cabernet Sauvignon Fracao Unica

Casa Perini Champenoise 750ML

Don Guerino Malbec Vintage

Don Abel Premium Merlot

Don Abel Rota 324 Cabernet Sauvignon

Casa Perini Quatro

Don Guerino Gran Reserva Tracos Top Blend

 

Mesa 9 (Garibaldi/ Campos de Cima da Serra/ Vale dos Vinhedos/ Vale do Rio São Francisco/ Flores da Cunha/ Farroupilha/ Alto Feliz)

Peterlongo Moscatel

Aurora Moscatel

Terranova Moscatel

Casa Perini Aquarela Moscatel Rosé

Ponto Nero Celebration Moscatel

Luiz Argenta Moscatel

Don Guerino Prosecco

Ponto Nero Moscatel

RAR Reserva Brut

 

Como procurar hotéis em cidades desconhecidas

como procurar hotel ou hostel em cidades desconhecidas

Reprodução, Hostelworld3030

Vou estrear hoje um espaço de dicas na hora de turistar por aí. Começo falando sobre como tento encontrar um hotel numa localização legal e num preço camarada em uma cidade onde nunca coloquei os pés antes.  Bom, normalmente, eu primeiro faço uma cotação com agência de viagem. Na maioria das vezes, são mais caras do que buscar na internet, mas, eventualmente, pode haver alguma promoção. Se eu conheço alguém que mora ou já visitou aquela cidade, pergunto para a pessoa sobre bairros bacanas. Para mim, sempre é interessante que o hotel tenha uma boa localização, que permita fazer a pé boa parte das atrações turísticas, e que esteja perto do transporte coletivo (para chegar a partir do aeroporto e também visitar pontos mais distantes).

Primeiro passo é procurar em sites de buscas de hotéis. Tem vários hoje, inclusive que comparam entre sites. Eu costumo ir de basiquinho mesmo. Se for hotel, busco no Booking.com. Se for hostel, no Hostelworld (gosto muito deles porque tem um espaço para a descrição de como chegar no hostel utilizando transporte público. Algumas não são muito completas – são preenchidas pelos donos – mas sempre deu certo). Nunca tive problema com nenhum dos dois. Filtro pelo preço e aí vou olhando as avaliações dos outros usuários. Eu costumo ordenar as avaliações da pior para a melhor, para primeiro olhar quais são as maiores reclamações a respeito daquele lugar. Assim, é mais fácil descartar, de acordo com o que você não suporta. Por exemplo, quarto pequeno é ok até, mas quarto com percevejos e pulgas na cama, não (em Veneza, tem vários com esses relatos, afinal, os prédios são muito velhos).

Mas como saber se o endereço é bacana: primeiro, busco vários lugares que quero visitar naquela cidade para ver se são longe dali. Faço a comparação no Maps do Google. No mapa, também olho se há pontos de ônibus ou metrô perto, e ainda supermercados ou restaurantes (opções para comer perto sempre são interessantes, especialmente quando você chega de noite cansado no hotel de tanto bater perna e não tem vontade de ir pra longe jantar). Olho pela imagem do Google Earth também como é a rua e o prédio do hotel, para ver se não é trash demais ou bem diferente da foto da propaganda deles. Dou uma olhada depois no site do hotel ou hostel. Sempre pode ter alguma informação adicional para ajudar na decisão.  Outra dica é dar um Google para ver quais são os bairros bacanas, descolados do lugar. Às vezes, não são tão perto das atrações, mas tem uma atmosfera boa, que vale a pena ficar. Nem sempre o centro é a melhor opção. Em várias cidades, o centro é um lugar degradado e com uma criminalidade mais alta do que em outros pontos. Por exemplo, em Paris, fiquei em Montmartre, em Roma, uma vez fiquei em Trastevere, em Praga, em Mala Strana. Gostei muito de todos. Nenhum é central, mas não são longe também. Já em Buenos Aires, fiquei bem no centro, perto do Obelisco, e não gostei. Preferia ter ficado na Recoleta ou Palermo, por exemplo, que tem locais mais agradáveis.

Ah, nunca tentei Airbnb. Vocês já? E como escolhem hotéis quando vão para algum lugar que nunca estiveram antes? Conta aí.