Spa do Vinho Autograph Collection Hotel e Baile Imperial, em Bento Gonçalves (RS)

Construção do Spa do Vinho é maravilhosa. Foto: Kelly Pelisser

Paisagem é a mais linda do vale. Foto: Kelly Pelisser

Para mim, a vista do Spa do Vinho Autograph Collection Hotel é a mais linda de todo o Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). É aquele tipo de paisagem que a gente pode ver centenas de vezes e continua enchendo os olhos, como da primeira vez. O hotel de alto padrão, que integra a rede internacional Marriott, conta com um condomínio vitícola e um centro vinoterápico que oferece tratamentos corporais e faciais naturais com uso de polifenóis da uva. Uma vez por ano, perto do Sete de Setembro, o Spa do Vinho promove o Baile Imperial, uma grande festa para celebrar a Independência do Brasil, com comidas, roupas e música de época, reproduzindo o país dos tempos da Corte Portuguesa.

Baile Imperial tem iluminação à luz de velas. Foto: Kelly Pelisser

Convidados recebem máscaras. Foto: Kelly Pelisser

Funcionários do hotel estão trajados de época e dançam lindamente. Foto: Kelly Pelisser

A oitava edição do Baile Imperial (em 10 anos de hotel) foi no dia 9 de setembro, um sábado. Eu fui convidada a participar e posso dizer que é uma experiência incrível. Todos os funcionários estão vestindo roupas do início do século 19, da recepção à cozinha. A atmosfera é magnífica. Você se sente num filme de época. Os participantes do jantar devem usar traje social, de preferência as mulheres de vestido longo (mas há várias de vestido até o joelho) e os homens de terno e gravata. O baile é aberto a hóspedes e não hóspedes. Os ingressos custavam de R$ 350 a R$ 550 por pessoa, dependendo do lote. Esse mais caro era do lote final.

Na entrada, você escolhe uma máscara (sim, o baile é de máscaras) à la Veneza, feita por uma artesã de Gramado em couro. As das mulheres são decoradas com plumas e pedras. Para chegar ao local da festa, é preciso descer uma escada. No topo dela, um funcionário do hotel pergunta seu nome e cidade e faz o anúncio a todos: “Recebemos no nosso baile, Kelly da província de Caxias do Sul”. Ao centro do salão fica um palco onde ocorrem apresentações. As mesas redondas para o jantar estão dispostas ao redor dele. Já a orquestra, que vai tocar ao longo de toda noite músicas clássicas como valsas e minuetos, está num outro palco próximo ao central. O salão fica meio às escuras, já que a iluminação é feita apenas com velas em castiçais sobre as mesas. O público acompanha, antes e durante o jantar, apresentações de funcionários do hotel vestidos de época, de ballet e mais de dois solistas de ópera (divinos) do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Fernanda Schleder e Frederico de Assis.

Primeiro prato: salmão. Foto: Kelly Pelisser

Segundo prato: bacalhau. Foto: Kelly Pelisser

Cabedella de peru com feijões brancos ensopados e embutidos. Foto: Kelly Pelisser

Lombo de vaca e quibebe de moranga. Foto: Kelly Pelisser

Bolos de sobremesa. Foto: Kelly Pelisser

Os pratos do jantar foram feitos por chefs convidados, reproduzindo iguarias que a Corte Portuguesa consumia no Brasil. Confesso que estava curiosa para provar o menu. De entrada, queijo coalho assado com mel, pãezinhos e manteiga. Como primeiro prato, um salmão ao molho de ervilhas com cogumelos e castanhas adoçadas (eu amei essa explosão de sabor). O segundo prato era um bacalhau au gratin com azeitonas. Na sequência, uma cabedella de peru com feijões brancos ensopados e embutidos. E por fim, um lombo de vaca e quibebe de moranga. O jantar era acompanhado de vinhos premium de vinícolas do Vale dos Vinhedos, Lídio Carraro, Don Laurindo, Almaúnica, Miolo e Don Cândido. Todo o serviço é à francesa. De sobremesa, docinhos como quindim e de nozes, bolos decorados, bem-casados, café e licor. Esses estavam em uma antessala para os participantes do jantar se servirem à vontade.

Ao fim do jantar, alguns casais dançaram na área do palco, mas a festa acabou cedo, já que a maioria preferiu se recolher aos quartos. Mas, me contaram que isso depende da resposta do público. Em alguns anos, o baile seguiu até as 4h da manhã. Mesmo sem festa madrugada adentro, o jantar espetáculo enche os olhos e vale muito a pena.

Quarto com cama enooorme. Foto: Kelly Pelisser

Eu passei a noite no hotel, num dos quartos com vista para os fundos. O grande destaque é a cama mais do que enorme, maior do que uma king size, com muitos travesseiros e almofadas, bem daquelas para se jogar. A vontade é ficar muito tempo na cama. Mas eu sugiro acordar logo para aproveitar a paisagem. O café da manhã é servido no andar térreo. Estão à disposição frutas, iogurte, pães, bolos e frios. Os garçons oferecem café, leite, sucos e espumante. Também é possível levar sua refeição para um terraço ali ao lado e tomar café apreciando a linda vista dos vinhedos e do vale. O hotel conta com uma piscina externa (também com vista para o vale), adega e bar. No último andar, há um restaurante para eventos, de onde é possível ter uma visão ainda mais magnífica da paisagem, já que é o ponto mais alto da construção.

Piscina externa do hotel. Foto: Kelly Pelisser

O hotel oferece quartos a partir de R$ 550 a diária, incluindo café da manhã. Há quartos de diversos perfis, com preços que podem chegar a R$ 2.817 a diária, com varanda com vista para o vale e banheira de hidromassagem. Os mais caros são os da parte da frente do hotel, voltados para a paisagem da vinícola Miolo. Dando uma olhada no site da rede Marriott, dependendo do dia, dá para pagar R$ 362 dos quartos mais simples. Os tratamentos do spa são pagos à parte, assim como o estacionamento.

Fonte em frente ao hotel pode ser acessada também por não hóspedes. Foto: Kelly Pelisser

Quem não é hóspede pode fazer fotos na área externa do hotel, onde fica a fonte na entrada (que tem uma vista linda para o vale), pagando o estacionamento. Não hóspedes também podem utilizar o Restaurante Leopoldina e o Bar Sabrage do hotel. Não é necessário pagar taxas, apenas o que for consumido.

Terraço onde é possível tomar café da manhã e ter vista do vale. Foto: Kelly Pelisser

O mais impactante de todo hotel é a paisagem, o entorno, o contexto. Seja para se hospedar ou apenas para visitar, o lugar é encantador e remete às regiões vinícolas mais famosas da Europa, com vales e vinhedos. E ainda por cima participar de um baile de máscaras no estilo imperial com esse cenário faz a gente acreditar que está em um filme de época. O Spa do Vinho Autograph Collection Hotel é, realmente, uma experiência única.

 

Spa do Vinho Autograph Collection Hotel

Onde fica: RS-444, km 21, em frente à vinícola Miolo, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, RS

Mais: site e Facebook

 

 

Anúncios