Tour Sabor e Fé, na Adega Chesini, em Farroupilha (RS)

Varejo da Adega Chesini. Foto: Kelly Pelisser

A Adega Chesini, uma vinícola familiar localizada na comunidade de Vila Rica, em Farroupilha (RS), lançou um tour chamado Sabor e Fé, que apresenta o empreendimento com uma visão diferente do que estamos acostumados a ver em outros passeios turísticos desse tipo e com um cardápio que também foge do convencional da região, com uma refeição inspirada na Bíblia. O mote do passeio é a religiosidade, a conexão com algo mais profundo em nosso interior. O tour é feito apenas para grupos, sob agendamento aos sábados.

Antiga roda d’água. Foto: Kelly Pelisser

Enoteca da Chesini. Foto: Kelly Pelisser

Fonte e imagem de Santa Lúcia, responsáveis pelo milagre. Foto: Kelly Pelisser

O Sabor e Fé se inicia no varejo da vinícola, por volta das 11h30min, quando os visitantes conhecem um pouco mais sobre a casa. Fundada nos anos 1970, a vinícola inicialmente produzia só vinhos comuns, depois, nos anos 2000, passou a fabricar vinhos finos, incluindo espumantes pelo método tradicional. A Chesini também é uma das poucas vinícolas que produzem vinho canônico, aquele utilizado pelos padres nas missas (é um vinho rosé, feito com uvas Isabel, licoroso – doce -, e muito alcoólico – 16 graus). O visitante conhece a área de produção, onde foram conservadas também as antigas pipas de madeira (que não são mais utilizadas) em meio aos tanques modernos de inox. A Chesini conta ainda com uma enoteca, onde estão guardados vinhos de safras anteriores, e um pequeno museu com objetos antigos.

Mesas postas para o almoço em meio aos tanques de inox. Foto: Kelly Pelisser

Pães incluem um sem fermento, como nos tempos bíblicos. Foto: Kelly Pelisser

Mas o lugar também guarda uma história bem especial, que é um dos pilares do passeio: um milagre que teria acontecido na propriedade. Em 1932, ainda antes da vinícola, a família Chesini era proprietária de um moinho e de uma ferraria. Um dos irmãos do depois fundador da vinícola, chamado Eduardo, foi atingido por limalha de ferro nos olhos enquanto trabalhava na ferraria. Os médicos deram o diagnóstico: ele havia ficado cego para sempre. A família buscou na religiosidade o consolo: fez uma novena para Santa Lúcia, a santa protetora dos olhos, e todos os dias, Eduardo lavava o rosto em uma fonte que fica na propriedade. E a graça pedida foi alcançada: ele voltou a enxergar. A família construiu um capitel em homenagem à santa e o padre que foi abençoá-lo batizou a comunidade, que ainda não tinha nome, como Vila Rica, pela riqueza da fé dos seus habitantes. O visitante do Sabor e Fé conhece essa história, assim como a roda d’água que tocava o moinho e a ferraria, e a fonte onde Eduardo lavou os olhos ao lado de uma imagem de Santa Lúcia pintada em azulejos.

Momento de partilha do pão e do vinho. Foto: Kelly Pelisser

Depois disso, há um momento de partilha do pão e do vinho (o canônico), com leitura de algumas passagens bíblicas, e também a lavagem das mãos com água, para que cada um pense o que deve purificar em si. O momento é acompanhado de canções ao violão tocadas e cantadas por um jovem de 14 anos da comunidade. Finalizada essa parte, os visitantes são convidados ao almoço em mesas postas junto às pipas onde são produzidos os vinhos da vinícola. Todos os pratos têm ingredientes citados em passagens bíblicas. Para começar, entradinha com pães e patê com ervas (muito gostoso mesmo). No almoço, são servidos pães, inclusive um sem fermento (assim como nos tempos de Jesus), um peixe recheado (com um tempero divino, com o perdão do trocadilho), lentilhas, arroz e salada. De sobremesa, tem pera ao molho de vinho. Claro, todos os pratos são harmonizados com produtos da vinícola, incluindo um moscato e um moscatel, já que Farroupilha tem indicação de procedência para vinhos produzidos com essa uva. Também são colocados à mesa suco de uva integral, água e um cabernet sauvignon. A experiência é muito válida e interessante por ser diferente de outros tours oferecidos por vinícolas na região. O passeio é cheio de simplicidade e beleza, assim como a pequena vinícola. Apesar de ter o mote da religiosidade (e da religião católica, em especial), não tem clima de pregação, apenas de reflexão sobre questões espirituais.

Entradinha com patê de ervas. Foto: Kelly Pelisser

Peixe como prato principal. Foto: Kelly Pelisser

O Sabor e Fé está disponível para grupos de 12 a 25 pessoas, com agendamento prévio, pelo valor de R$ 95 por pessoa.  Mais informações pelo telefone (54) 3464.2424 ou pelo e-mail visitas@adegachesini.com.br. A comunidade de Vila Rica, onde está a vinícola, pode ser acessada na estrada velha que liga Farroupilha a Garibaldi, (inclusive é muito mais próxima de Garibaldi do que do centro de Farroupilha), nas proximidades do Desvio Blauth e do parque da Fenachamp. A Chesini fica bem ao lado da igreja da comunidade.

Sobremesa de pera ao vinho. Foto: Kelly Pelisser

Gran Vin, vinho ícone da Adega Chesini é, realmente, espetacular. Foto: Kelly Pelisser

Cardápio

Antepasto: Patê de manteiga com ervas finas. Saladas: Alface com frutas secas e azeitona; Ervas amargas (radicci e rúcula). Pratos quentes: Peixe recheado assado, arroz e lentilha. Acompanhamentos: Pães e farofa. Sobremesa: Pera ao vinho tinto com calda de mel.

Bebidas

Vinho Rosado Licoroso; Vinho Branco seco Moscato (IP Farroupilha); Vinho Branco seco Lorena; Vinho Tinto Seco Cabernet Sauvignon; Espumante Moscatel; Suco de Uva integral; Água.

Anúncios

Allêz Quicheria, em Caxias do Sul (RS)

Quiche doce de Oreo com café. Foto: Kelly Pelisser

Fui conhecer a Allêz Quicheria, em Caxias do Sul (RS). Como o nome já entrega, é uma casa especializada em quiches, incluindo doces. Sim! Nem sabia que existia, mas há opções de quiches doces.

São 11 opções de quiches salgadas, como sabores como a Lorraine clássica, rúcula com tomate seco, alho poró com gorgonzola, filé quatro queijos e strogonoff de carne. Esses têm dois tamanhos, a pequena e a grande. O menor sai por valores entre R$ 12 e R$ 16. Já o maior, de R$ 18 a R$ 25. Há uma opção kids, com filé mignon ao molho de nata, batata smile e salada, por R$ 22,50. Já as doces são dez tipos, com sabores como petit gateau com sorvete, MMs com chocolate, morango com chocolate, banana com Nutella, Kinder Ovo, e abacaxi com coco. Eles têm tamanho único e custam de R$ 15 a R$ 23. O cardápio conta ainda com sticks com molhos, saladas, sucos, cafés, chopp, cervejas, vinho e espumantes.

Eu escolhi um dos doces, de Oreo com café. Vem com creme especial, biscoito Oreo, café e chocolate meio amargo. Esse custa R$ 19. Para acompanhar, peguei um café expresso duplo, que custa R$ 6,50. A conta saiu por R$ 25,50. O pedido chegou rápido e bem quente (bem mesmo! Hehe). Mesmo sendo chocolate meio amargo, achei um pouco doce, porque o recheio é bem vasto, mas, com o café deu uma equilibrada. Bem legal a sacada da casa e deu vontade de voltar para provar um dos salgados. Ah, diz que o grande é beem grande, uma refeição praticamente. Esse doce tem o tamanho do salgado pequeno e é legal para um lanchinho da tarde.

 

Allêz Quicheria

Onde fica: Rua Tronca, 2226 (entre as ruas Felipe Camarão e a Marcílio Dias, mais ou menos na altura do Parque dos Macaquinhos e da prefeitura), Caxias do Sul (RS)

Horários: de terça a sábado, das 11h30min às 23h, e domingos, das 16h às 22h

Mais: Facebook da Allêz Quicheria

Irene no Céu Café & Bom Humor, em Caxias do Sul (RS)

Fitinhas coloridas no portão de entrada. Foto: Kelly Pelisser

Fui conhecer o Irene no Céu Café & Bom Humor, em Caxias do Sul (RS). Como o nome já entrega, o lugar é super querido, diferentão, colorido e bem humorado. O café fica em uma casa na Rua La Salle, nas proximidades da Avenida Itália, no bairro São Pelegrino. Já no portão, fitinhas coloridas com frases positivas convidam a entrar e deixar seu dia mais leve. Por todo canto da casa estão espalhados objetos com muita cor e com propostas inusitadas, como um tênis velho que serve de floreira. As cadeiras são de padrões diversos e pequenas “sportas” (as cestas de palha) são suporte para os saquinhos de açúcar (aliás, tem açúcar mascavo e açúcar orgânico). E, aos fundos da casa, funciona o Instituto Cultural Taru, que promove oficinas, exibição de filmes, cursos, reiki, entre outras atividades. Algumas são gratuitas e outras pagas. A programação mensal está disponível nas mesas do café.

Café é todo colorido e diferentão. Foto: Kelly Pelisser

O cardápio do Irene traz como capa uma ilustração e o poema Irene no Céu, de Manuel Bandeira (pegou o nome da casa agora?). As opções são todas vegetarianas, algumas veganas. O café é orgânico. E os bolos têm cara daqueles de casa de vó. Tem desde o tradicional expresso (por R$ 4) até moccacino (R$ 12). Ah, no cappuccino, dá para incluir paçoca (gente!), doce de leite ou avelã. Os salgados incluem empadas, tortinhas, hambúrgueres (de soja), sanduíches, e pão de queijo (que pode ser multigrãos ou recheado). Veganos, tem sanduíche, hambúrguer, pastel integral e torta flocada. Ah, também tem uma empada e um quiche sem glúten e sem lactose. Os salgados estão na faixa de R$ 6 a R$ 18. Entre as opções doces, tem o bolo Irene no Céu (de fubá com goiabada, que custa R$ 7 a fatia), cheescake, brownie, petit gateau, palha italiana, quindim, entre outras opções.

Apfstrudel e café orgânico com cascas de laranja. Foto: Kelly Pelisser

Eu escolhi um apfstrudel (R$ 8) e mais um expresso duplo (R$ 6,50). O doce foi aquecido e estava bem gostosinho. O café veio com casquinhas de laranja (achei um amor isso!). A casa, aliás, é toda amorzinho, cor e humor, que convida a voltar mais vezes! ❤

 

 

Irene no Céu Café & Bom Humor

Onde fica: Rua La Salle, 933, bairro São Pelegrino, Caxias do Sul (RS)

Horários: de terça a sábado, das 10h às 20h30min

Mais: Facebook do Irene no Céu Café & Bom Humor