Docivete Confeitaria, em Caxias do Sul (RS)

torta cappuccino

Torta de Morango Quatro Ventos acompanhada de cappuccino. Foto: Kelly Pelisser

A Docivete é uma confeitaria no centro de Caxias do Sul que oferece aquela coisa toda: salgadinhos, doces, cafés… Tem pão de queijo, empadas, quiches, docinhos, palha italiana e tortas. E é justamente aí que você deve parar no balcão e apreciar: as tortas são lindas! Tem holandesa, cheescake, de café e muitas outras opções. Para levar, também tem biscoitos em pacote e doces de frutas. Mesmo com muitas mesas, pela tarde, a confeitaria é bem concorrida.

docivete confeitaria

Espaço para lanches tem várias opções. Foto: Kelly Pelisser

Fiquei em dúvida qual torta escolher. Mesmo as que estão inteiras no balcão, você pode pedir para cortar um pedaço. Aliás, o preço sempre está por quilo e varia conforme o sabor. Optei por pegar um pedaço da Morango Quatro Ventos. É uma torta com base de biscoito de chocolate, creme branco com leite, morangos e chantilly. Bem gostosa mesmo. Pedi um cappuccino para acompanhar. Dos dois, deu R$ 11.

 

Docivete Confeitaria

Onde fica: Rua Andrade Neves, 938 (entre a Rua Sinimbu e a Rua Os 18 do Forte), Caxias do Sul, RS

Horário: segundas, das 13h às 19h, terças a sábados, das 9h às 19h.

Mais: Facebook

 

 

 

Anúncios

Natureba Restaurante Vegetariano, em Caxias do Sul (RS)

 

Restaurante vegetariano

Meu prato no Natureba acompanhado de suco verde grande. Foto: Kelly Pelisser

O Natureba é um restaurante vegetariano de uma família de orientais bem no Centro de Caxias do Sul (RS). O lugar é um buffet apenas com opção livre. De segunda a sexta, o preço é R$ 17. Aos sábados, custa R$ 18. Há muitas opções de salada, brotos, beterraba, cenoura, pepino, entre outros legumes e verduras. Também é servido sushi vegetariano. Diversas opções são da culinária oriental, com arroz e massa, mas também há pratos brasileiros. O buffet oferece ovo. De salada, há frutas e alguns cremes.

Toda a comida é bem gostosa. As verduras têm gosto de verdade. A família proprietária e os atendentes são todos muito gentis. Para tomar, há sucos verde, de laranja e de abacaxi em dois tamanhos, de 250ml e de 350ml. O verde custa R$ 3,50 e R$ 4,50. Os outros, R$ 3 e R$ 4. Peguei um verde. Realmente, muito bom mesmo. Fiquei com vontade de comer lá mais vezes, mesmo não sendo vegetariana. Uma boa opção para quem não come carne ou quer variar o cardápio.

 

Natureba Restaurante Vegetariano

Onde fica: Rua Andrade Neves, 911, entre as ruas Sinimbu e Os 18 do Forte, Centro, Caxias do Sul, RS

Horário: de segunda a sábado, das 11h30min às 14h

 

Mini tapiocas na Tapiocaria Caxias, em Caxias do Sul (RS)

tapioca

Tapioca mini de filé à moda do chef e mini de estrogonofe de carne de sol. Foto: Kelly Pelisser

Eu já fui algumas vezes na Tapiocaria Caxias e justamente o que eu sentia falta é o lançamento deles agora: mini tapiocas. O cardápio atual tem cerca de 80 opções, mas até então só existia num tamanho, de 20 centímetros e com a massa bem grossa. Ou seja, comer uma salgada e outra doce de sobremesa era demais (para mim, ao menos). Achava que, se existisse a opção de um tamanho menor, seria possível pedir uma pequena de sobremesa ou até mesmo provar mais de um sabor. Pois bem, a Tapiocaria atendeu as preces dos clientes que pensavam como eu. A novidade tem, mais ou menos, metade do tamanho daquela normal e, em qualquer sabor, custa R$ 10, como preço de lançamento.

A Tapiocaria, em Caxias do Sul, abre também ao meio-dia, mas as minis estão disponíveis apenas à noite, para o jantar, de terça a domingo. O cardápio tem opções vegetarianas, frutos do mar, aves, carne bovina e suína, doces, zero lactose, e para crianças. As grandes custam entre R$ 13 e R$ 25. O pessoal já me avisou que, em agosto, o cardápio será trocado. Ficarão cerca de 60 sabores, alguns atuais não serão mais oferecidos e outros novos entrarão na lista.

Mini tapioca

Mini tapioca de 5Star. Foto: Kelly Pelisser

Já que a ideia era provar as minis, escolhi três sabores, dois salgados e um doce. Comecei pelo Filé à Moda do Chef, uma tapioca recheada com queijo cheddar, filé em cubos e bacon fatiado crocante (bacon é vida, por isso, beeeem boa), e pelo Estrogonofe de Carne de Sol, tapioca com carne de sol preparada na manteiga da terra ao molho de leite de coco, blend de queijos e batata palha. Para sobremesa, optei por um sabor que é edição limitada, 5Star (aquele chocolate da Lacta). Originalmente, essa tapioca seria de chocolate branco, com 5Star em pedaços e cobertura com ganache de amarula, mas eu pedi para trocar o recheio de chocolate branco por chocolate meio amargo. Beeem bom, mas, quando você coloca na boca, o caramelo do 5Star aquecido gruda nos dentes (mas logo desgruda, não precisa tirar com o dedo. Ahahah). Das três minis, deu R$ 30. E fiquei bem satisfeita. Três pequenas são suficientes para um jantar.

 

Tapiocaria Caxias

Onde: Rua Ambrósio Colombo, 214, (é uma ruazinha que vai dar na Avenida Rio Branco, lá para os lados da Intral), bairro Rio Branco, Caxias do Sul

Horários: Para almoço, de segunda a sexta, das 11h às 14h. À noite: de terça a quinta-feira, das 18h às 22h, sexta-feira e sábado, das 18h às 23h, domingo, das 17h às 22h.

Mais: site, Facebook e Instagram

 

 

 

 

Hospedaria Rio do Vento, junto ao Barlavento Morangos Hidropônicos, em Caxias do Sul (RS)

hospedaria rio do vento

Pousada foi feita a partir de duas casas antigas. Foto: Kelly Pelisser

Quase todo mundo de Caxias já foi ou, pelo menos, já ouviu falar do Barlavento, o restaurante ao lado da produção de morangos hidropônicos que se desenvolvem ouvindo música na Rota do Sol. Mas nem todo mundo sabe que lá também existe uma pousada super simpática. A Hospedaria Rio do Vento é relativamente nova, existe há cerca de um ano e meio. A pousada foi montada a partir de duas casas antigas, que seriam demolidas, uma de 1871, trazida de Coronel Barros, e outra de 1951, de Três de Maio, na Fronteira Noroeste do Estado. A hospedaria é bastante procurada por turistas de Porto Alegre e de São Paulo, especialmente, pela localização estratégica entre Gramado e Bento Gonçalves. Mas moradores de Caxias do Sul e outras cidades da Serra também recorrem ao lugar em datas especiais, como Dia dos Namorados, ou só para dar aquela fugidinha mesmo num fim de semana.

pousada serra gaúcha

Área comum da pousada, com sala de estar e mesas para o café da manhã. Foto: Kelly Pelisser

rio do vento

Área de leitura da pousada. Foto: Kelly Pelisser

As paredes de tijolo e de madeira foram desmontadas e remontadas em Caxias. Algumas partes, como as divisórias internas dos quartos, são novas. A pousada tem seis suítes, cada uma com capacidade para entre duas e cinco pessoas. Um dos quartos têm um bercinho para bebê. Dois deles, contam com um mezanino, onde fica uma outra cama. Os valores variam conforme o número de pessoas e o quarto escolhido. Para uma pessoa, entre R$ 190 e R$ 320; para duas, de R$ 270 a R$ 400; para três, de R$ 370 a R$ 480; para quatro, de R$ 510 a R$ 560; e para cinco, R$ 640. No preço, está incluído o pernoite e o café da manhã. As diárias começam às 14h e vão até o meio-dia.

quarto pousada

Quarto onde fiquei tem mezanino. Foto: Kelly Pelisser

Tudo tem cara de casa, daquela da avó, sabe? Uma lareira na entrada garante o calor para a sala de estar e mesas do café. Em noites frias, também dá para fazer pinhão na chapa ali. Passei uma noite na pousada, num dia frio. Dentro da casa, não se sente a temperatura e o vento lá fora. Os quartos têm Split, e também cobertas e edredons que dão conta do recado. As janelas têm vidros duplos para serem isolantes térmicos e também do movimento da rodovia, ao longe. Fiquei no quarto chamado Patagônia, que teria lugar para quatro pessoas, uma delas, no mezanino alcançado por uma escada. Todos os quartos têm banheiro (com secadores e toalhas à disposição), TV e frigobar (com água, refrigerante e cerveja).

bulés pousada rio do vento

Detalhes antigos estão por toda a parte. Foto: Kelly Pelisser

A pousada tem uma pequena cozinha comum, com geladeira, fogão e micro-ondas, que pode ser utilizada pelos hóspedes. Já o serviço de restaurante é o do Barlavento, que fecha cedo. Nessa época, o atendimento é até 19h durante a semana e até 20h nos finais de semana. Ou seja, se você quiser jantar lá, tem que se programar para comer cedinho. Eu jantei no restaurante. Pedi um Ruta 40, uma massa penne com carne de panela e queijo parmesão (R$ 37,50), acompanhada por uma taça de vinho (R$ 9). De sobremesa, escolhi um Tormentim, brownie com sorvete de nata e calda de mirtilo (R$ 19,50). A carne de panela estava deliciosa, bem soltinha! E o brownie e a calda são bem gostosos.

brownie com sorvete e calda de mirtilo

Sobremesa do jantar: brownie com sorvete e calda de mirtilo. Foto: Kelly Pelisser

A noite foi bem tranquila. O café da manhã é servido entre 8h e 10h. Dependendo da época do ano, tem os tradicionais morangos cultivados lá no sistema de hidroponia. Agora, infelizmente, não há morangos. A safra é entre agosto e dezembro, mas, dependendo do clima, é possível ter num período bem maior. Esse ano, não foi de muito sucesso.  Assim, o restaurante também não tem, nesse momento, sobremesas e pratos com morangos, já que a opção dos proprietários é não comprar a fruta de terceiros. O café tinha bananas e maçãs, grostoli daquele sequinho, pães com geleia e manteiga, queijo e peito de chester, biscoitos, café e chá. E destaque para: o suco de morango maravilhoso, o melhor da vida (é congelado, por isso, tem todo ano), o iogurte de morango (o iogurte é produzido por uma agroindústria e a calda é feita lá mesmo), e uma cuca de mirtilo divina (também produzida na hospedaria). Sério, eu ainda sinto o gosto do suco, do iogurte e da cuca dias depois! Coisa mais boa!

café da manhã pousada rio do vento

Café da manhã com suco de morango, iogurte de morango e cuca de mirtilo: delícias! Foto: Kelly Pelisser

Depois do café, uma boa pedida é dar uma caminhada no entorno, observar as árvores, brincar com os cachorros (a Rosinha é pequeninha e um amor! Adora carinho), ver os outros bichinhos (tem coelhos, galinhas e porquinhos da Índia), e relaxar. Afinal, estamos perto de Caxias, a uns 14 quilômetros do Centro, mas num lugar onde o tempo parece que passa um pouco mais devagar. Aliás, não há sinal de celular ou de internet por lá, mas a pousada conta com wifi e telefone. Só que te dou um conselho: esqueça, se possível, do celular. Afinal, não é em todo o lugar que dá para parar e ver sentir o tempo passar em outro ritmo. Tipo, na casa da vó.

restaurante Barlavento

Área externa do restaurante Barlavento. Foto: Kelly Pelisser

restaurante barlavento

Área interna do restaurante Barlavento. Foto: Kelly Pelisser

bichos rio do vento

Além dos porquinhos da Índia, lugar também tem cachorros, galinhas e coelhos. Foto: Kelly Pelisser

Hospedaria Rio do Vento e Barlavento Morangos Hidropônicos

Onde: RSC-453, Km 154, Rota do Sol (a 14 quilômetros do centro, em direção ao Litoral), Caxias do Sul (RS)

Preços das diárias e fotos dos quartos: http://www.riodovento.com.br/hospedaria

Horário do restaurante: de segunda a sexta, das 8h às 19h, sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h. Durante o horário de verão, de segunda a sexta, das 8h às 20h, sábados, domingos e feriados, das 8h às 21h.

Mais: site e Facebook

Outros posts sobre o Barlavento:

https://dicasdakellypelisser.com/2016/03/18/barlavento-rio-do-vento-morangos-hidroponicos-em-caxias-do-sul-rs/

https://dicasdakellypelisser.com/2016/07/14/oito-doces-imperdiveis-em-caxias-do-sul-rs/

https://dicasdakellypelisser.com/2016/07/11/restaurantes-com-espaco-para-criancas-em-caxias-do-sul-e-outras-cidades-da-serra-gaucha/

Turistas podem participar de poda de vinhedos em Bento Gonçalves

um dia de poda

Turistas participam de poda das videiras. Foto: divulgação

Todo ano, no inverno, os viticultores fazem a poda dos parreirais. O processo poderá ser conhecido de perto por turistas na Vinícola Larentis, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Fazer a limpeza dos ramos em excesso da videira possibilita o equilíbrio da brotação, a renovação da produção nos parreirais e a melhora da qualidade das uvas. A atividade, batizada de “Um dia de poda”, será em sábados: no dia 30 de julho e no dia 6 de agosto, dia 6, sempre a partir das 14h30min. As vagas são limitadas para 20 pessoas. O valor para participar é R$ 40.

Os turistas, primeiro, acompanharão uma palestra de 30 minutos, que discorrerá sobre a poda na qualidade dos vinhos, com informações e curiosidades a respeito da produção vitivinícola. Em seguida serão fornecidas instruções para a poda e, depois, os visitantes vão colocar a mão na massa, ou melhor, na tesoura. O encontro encerra com uma visitação técnica à vinícola e degustação de vinhos e espumantes.

 

Um dia de poda

Onde: Vinícola Larentis, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves

Quando: 30 de julho e 6 de agosto de 2016

Horário: 14h30min

Valor: R$ 40

Informações e reservas: (54) 3453.6469 ou larentis@larentis.com.br

Pinto Bandeira busca denominação de origem para espumantes

espumantes pinto bandeira

Espumantes de Pinto Bandeira podem ser primeiros do Brasil a ter denominação de origem específica. Foto: Kelly Pelisser

O município de Pinto Bandeira está a caminho de ser a primeira região do Brasil com denominação de origem para espumantes. Para você que não é muito familiarizado com o assunto, é por causa da denominação de origem (DO) que o vinho espumante produzido numa determinada região da França é chamado de champagne. Pinto Bandeira já tem indicação geográfica (IP) para seus produtos vinícolas, mas a denominação de origem é mais específica, mais restrita.

O Vale dos Vinhedos possui denominação de origem para vinhos. A diferença para as vinícolas de Pinto Bandeira é que a DO será exclusiva para espumantes, elaborados pelo método tradicional, apenas com as variedades Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico, plantadas em espaldeira. A bebida certificada passará, no mínimo, por 18 meses de maturação.

O presidente da Associação de Produtores de Vinho de Pinto Bandeira (Asprovinho), Daniel Panizzi, explica a aposta: “O nosso terroir, historicamente, tem se mostrado tecnicamente excelente para produção de espumantes”. As vinícolas que estão à frente do projeto são quatro: Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino. Neste momento, o processo encontra-se em estudo, aos cuidados da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves. Ainda não há previsão para finalização e encaminhamento para avaliação do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), órgão que concede o registro, mas a expectativa é que possa estar concluído até o final de 2018. As discussões para obtenção da denominação de origem iniciaram ainda quando a indicação geográfica foi garantida, mas se intensificaram no último ano. “A DO vem para certificar e regrar o nosso trabalho, além de expor ao mercado premissas da nossa associação. A IP já nos conduziu para várias melhorias e a DO será mais restritiva ainda. O que para nós será um ganho em qualidade nos processos e logicamente, na qualidade final do nosso produto”, entende Panizzi.

Na Serra, além de Pinto Bandeira, Farroupilha, Monte Belo do Sul e Flores da Cunha têm o selo de indicação de procedência. O Vale dos Vinhedos possui a certificação de denominação de origem.

Gastronomia e saudosismo no Garibaldi Vintage nesta sexta-feira

garibaldi vintage

Evento ocorre na Rua Buarque de Macedo. Foto: prefeitura de Garibaldi, divulgação

Esse é um evento que eu ainda não conheço, mas, pelo conceito e pelas fotos e imagens que já vi, parece muito bacana. O Garibaldi Vintage, no município de Garibaldi, terá mais uma edição nesta sexta-feira, 22 de julho, das 19h à meia-noite. A função toda rola na rua, na Buarque de Macedo, que foi revitalizada e tem vários prédios antiguinhos. A ideia do evento é resgatar temáticas de décadas passadas, entre os anos 1920 a 1960. Tem exposição de carros antigos, gastronomia, espumantes, cervejas artesanais e também algumas pessoas caracterizadas com roupas de época.

Os restaurantes que aportam no Garibaldi Vintage são: Valle Rustico, Trattoria Primo Camilo, Retro 81 Classic Pub, Hostaria Casacurta, Rer Divino, Só Comer, Dolce Mattina e Café Luna Park. Uma das novidades desta edição é que lojas do Centro Histórico também ficarão abertas durante à noite, para dar uma força ao comércio local. As vinícolas que estarão lá são Cooperativa Vinícola Garibaldi, Peterlongo, Courmayeur, Espumantes Don Naneto, além da Cooperativa de Produtores Ecologistas de Garibaldi Ltda (Coopeg). Serão vendidos produtos em garrafa e em taça. Haverá ainda a presença das cervejarias locais: Trinker Companhia Cervejeira, Maruba’s e Guarnieri.

A realização é da prefeitura com apoio do Sindicato de Hoteis, Restaurantes, Bares e Similares (SHRBS) de Garibaldi.